segunda-feira, fevereiro 20, 2006

BROKEBACK MOUNTAIN


No sábado tivemos o nosso tão ansiado sábado de namoro. E fomos ao cinema ver o filme "Brokeback Mountain". Gostei muito do filme, embora não fosse o filme que me apetecesse ver num tão esperado sábado de namoro... Passei o filme angustiada, pela angústia de dois homens que se amam e têm de esconder o que sentem, mentir e viver vidas paralelas. O receio que eu senti todo o filme de que eles fossem descobertos e humilhados, será porventura o receio e a angústia que todos os casais homossexuais sentem no nosso país e na maioria dos países do mundo.

Quando é que vamos deixar de julgar e discriminar os outros porque são diferentes de nós? Porque é que não aceitamos os casamentos homossexuais? Porque é que se considera que é um assunto para mais tarde, que não preocupa a maioria dos portugueses e há leis a modificar mais urgentes? Porque se formos pensar assim, bem podem esperar as minorias, sejam elas quais forem!

Talvez não tenha muito a ver, mas este filme e todas as sensações que me causou, fez-me lembrar uma história que se passou comigo. Numa 6ª feira de carnaval, portanto com pouca gente mascarada na rua ainda, o meu amigo Luís fazia anos e convidou-me para um jantar no Bairro Alto. Eu e a Ana, colega de faculdade e madrinha de casamento, pintámos a cara e as mãos com um castanho claro, cobrimos os cabelos com um lenço e ficámos tal qual duas mulatas giraças (houve quem me aconselhasse depois a mudar de raça!). E lá fomos nós, para a festa. Entrámos num táxi e logo o condutor acendeu a luz, fixando-nos durante alguns segundos, de sobrancelha franzida... Depois desligou a luz, arrancou e disse "Desculpem, pensava que eram pretas!". Devíamos ter saído do carro, mas ficámos tão estupefactas que não dissemos nada...

Não deixo de pensar no que será o dia-a-dia dos homens e mulheres de raça negra no nosso país... Se eu, nas únicas 5 ou 6 horas que deixei de ser branca, fui discriminada!

2 comentários:

Marques disse...

Então mas onde é que está o post sobre as sementinhas? Queria fazer um comentário, isto assm não pode ser!

Anónimo disse...

:)
pedindo desculpa pelo longo que o comentário ficou, e por invadir assim com isto o seu blog!

----------------------------------


Pois é...
Infelizmente há quem pense assim...
Peço desculpa por vir aqui fazer comentários destes, ainda por cima anónimo, mas...! É Sabendo que se quiser pode apagar:)

Realmente deve ter sido uma situaçãozinha daquelas, ir ver o tal filme num dia lindo como esse:) mas esperemos também que tenham sido as tais expectativas a criar esses comentários! porque...

1º : ser minoria não é necessariamente mau. Por exemplo se todas as mulheres fossem o supra-sumo da beleza... deixavam de o ser, já que só o são por se comparar com outras belezas diferentes (ou mesmo fealdades). Outro exemplo: ainda bem que BONS actores há poucos, ou ia tudo para cinema actuar, e a lei da oferta e da procura coitada!

2º : há minorias que... ainda bem que o são, mesmo! há coisas que são menos naturais, e que não se devem generalizar. Porque por exemplo... já sabemos que a população em imensos países está a envelhecer bastante, porque os casais teimam em ter um filho único, as vezes nem isso, etc. Ora também é obvio que... O mundo tem que ser povoado!(lol) E também todos sabemos que é inevitável o Homem seguir exemplos, porque é assim que aprende, e é assim que gosta de viver.
Peço para pôr um "suponhamos"...
E se não houvesse discriminação nenhuma em relação às relações homossexuais? E se os casamentos entre eles fosse legal, permitido, apoiado? E se pudessem adoptar livremente filhos?

De repente descobriríamos o enorme número de pessoas que assim o são, as que se sentem culpadas e anti-naturais, e as que se sentem em harmonia com o natural e normal. Mas também apareceriam aqueles que já depravaram tanto as relações heterosexuais que procuram coisas novas na homossexualidade, os que "pelo exemplo" também se tornam (ou se 'descobrem') homossexuais, etc. E não falamos apenas de homens e mulheres feitas, mas estaríamos também a dizer aos adolescentes, aos nossos (NOSSOS!!) filhos e filhas "meu querido... Sabes que se quiseres, não tens que arranjar uma namorada! pode ser um namorado! é normal, e natural!" (e o inverso para elas)
Claro que o previsível seria que por exemplo 50% de cada nova criança fosse homossexual!

Um amigo meu uma vez disse "há coisas que ao não saber resolver, tento colocar uma questão: as coisas boas recomendão-se. [claro que isto não dá para tudo mas aqui] Se todos formos homosexuais, o Homem deixa de se reproduzir! o mundo acaba!lol"

Ou seja......... não vi o filme. por isso não emito opinião. Os gays que o são, coitados por terem que reprimir o que sentem. Coitados por não poderem ser quem são realmente.

Mas talvez... talvez seja bom que haja certa discriminação...